Saiu no ATARDE!!! Sem cirurgiões e com salários atrasados, hospital de Mutuípe pode fechar

O Hospital Maternidade Clélia Rebouças, localizado no município de Mutuípe, no sudoeste baiano, corre o risco de fechar as portas após 82 anos de funcionamento. A unidade hospitalar é a única na cidade a realizar atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A população local, com cerca de 25 mil habitantes, depende do serviço de regulação para receber atendimento nas cidades vizinhas, como Ubaíra e Santo Antônio de Jesus, ou mesmo em Salvador. Há seis meses, o centro cirúrgico da unidade está fechado por falta de cirurgião e anestesista e os 58 funcionários estão há dois meses sem receber salário. O único procedimento que tem sido realizado no hospital é o parto normal. Na unidade, apenas um médico clínico atende a cerca de 70 pessoas por dia, desdobrando-se entre consultas e atendimentos de urgência e emergência. Informações do jornal A Tarde.

Coelba investe em Santo Antônio de Jesus e Mutuípe

Novo Resource

Este ano já foram investidos mais de R$ 34 milhões em obras e ações que estão beneficiando ao município e cidades vizinhas.

Para prevenir interrupções no fornecimento de energia em toda a região, a Coelba concluiu, neste ano, a construção de um novo alimentador para a SE Santo Antônio e a interligação de outro alimentador desta subestação com a subestação Mutuípe, permitindo maior possibilidade de manobras do sistema elétrico. Para tanto, investiu cerca de R$ 1,2 milhão nestas obras. A empresa também está investindo cerca de R$ 1 milhão em algumas obras que já estão em andamento e também aumentarão a qualidade do fornecimento de energia desta região, a exemplo da construção de um novo alimentador de 13,8kV, da interligação de dois outros alimentadores da SE Santo Antônio, e da instalação de equipamentos telecomandados.

Visando dotar o sistema elétrico de maior flexibilidade operacional, aumentar a oferta e trazer maior qualidade para o fornecimento de energia elétrica nesta região, a empresa irá construir em 2012 dois novos alimentadores que servirão à SE Santo Antônio de Jesus. Para isto, já está previsto um investimento de R$1,3 milhão da Coelba.

Além disso, este ano, a empresa tem a previsão de investir mais de R$ 18 milhões para a ligação de mais de 9,1 mil novos consumidores na área urbana de Santo Antônio de Jesus e municípios vizinhos. Em 2010, foram realizadas 7,6 mil novas ligações em área urbana nesta região, o que significou um investimento de mais de R$ 4,2 milhões. Na zona rural, por meio do Luz Para Todos, Santo Antonio de Jesus e região recebeu, do início do programa até hoje, um investimento de R$ 85,5 milhões, possibilitando a ligação de 15 mil famílias.

Mutuipenses vão as ruas pelo Hospital Clélia Rebouças

Redação e Fotos AMARELINHO10
Centenas de pessoas, entre eles: alunos do Colégio Aloísio Dias, professores, funcionários do hospital, comerciantes, taxisxtas e comunidades foram as ruas da cidade de  Mutuípe nesta sexta-feira (04) a partir das 08:00 horas, para reivindicar das autoridades local e do estado (SESAB), melhorias para o Hospital e  Maternidade CLÉLIA REBOUÇAS, único na cidade conveniado exclusivamente ao SUS (Sistema Único de Saúde), que presta atendimento em urgência, emergência, obstetrícia, pediatria e clínica médica a mais de 60 anos. O referido hospital, teve seu convênio (contratualização) com o SUS, fixado desde o dia 06 de outubro. O que inviabilizara o funcionamento do hospital e pagamentos.
Tudo vem a crer que a APMI – ASSOCIAÇAO MANTENEDORA DO HOSPITAL que é filantrópico e sem fins lucrativos, Venha passando pelas dificuldades devido a gestão da Presidente da Assossiação que não tem cumprido e honrado as metas que foram contratados pelo SUS, bom como pela falta de prestação de contas dos recursos  recebidos.
A população percorreu as ruas, se pronunciando em praça pública e encerrou a sua manifestação junto ao hospital onde entregaram uma faixa a Drº Divaldo Brandão, que atende a mais de 50 anos e que foi as lágrimas quando discursava e se colocou ao lado do povo e pela vida do hospital e da população.
Os funcionários também questionaram a vinda de uma outra assossiação da cidade de Castro Alves, que não tem boas referências junto a classe médica da região, e que tudo indica que por interesse de alguns, essa empresa venha a aterrissar em terras mutuipenses e possa terminar colocando a unidade em risco e aumente ainda mais seus problemas.

Estudantes de Mutuípe realizam Protesto nas ruas da cidade

Alunos do colégio estadual José Aloísio Dias foram às ruas de Mutuípe, a 243 km de Salvador, realizar uma manifestação cobrando do Estado intervenção no processo de terceirização do Hospital Clélia Chaves Rebouças (HCCR), único da cidade, administrado pela Associação de Proteção à Maternidade e Infância de Mutuípe (APMIM), que passaria a ser administrado pela APMI da cidade de Castro Alves, o que pode levar a demissão dos 58 funcionários contratados, que estão com salários atrasados em 60 dias. A direção do hospital nega a possibilidade de uma demissão em massa, e diz que a empresa que ficará responsável pela gestão, não modificará o quadro de profissionais por pelo menos 90 dias. Para Benival de Jesus, vice-presidente do SINDSAÚDE, somente o salário de novembro está assegurado aos funcionários. “Estamos conversando com a proprietária do hospital para resolver esse problema”, acrescentou Benival.

Passando por dificuldade financeira, a unidade hospitalar não teve o convênio de R$ 115,000.00 renovado com o SUS. Para o Superintendente de Regulação do Estado da Bahia, Dr. Andrés Alonso, a terceirização é o melhor caminho para o município, que não tem condições de assumir a direção do HCCR.

Fonte: midiareconcavo.com

Muitos acreditam ser uma briga política entre PMM e APMI, a única certeza é que os necessitados dos serviços do Hospital é quem sai perdendo.