Treinador ensina boxe para crianças e jovens carentes em casarão antigo

Próximo a cartões-postais de Salvador, gritos e palavras de ordem nos leva ao casarão azul de número 22, do conjunto arquitetônico da Conceição da Praia, Comércio. No 2º  andar do prédio, tombado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), meninos e meninas de corpos franzinos – alguns nem tanto – treinam sequências de boxe em frente a espelhos.

A técnica, conhecida como shadow (do inglês, sombra), serve para corrigir os erros. “Ao se olharem no espelho, eles veem como podem melhorar”, diz o treinador Florisvaldo França dos Santos,  39 anos. Florisvaldo França dos Santos? Quando questionada até a própria esposa, a contadora Neuza Batista, 41, força a memória para associar o nome à pessoa. “Que senhor nada, é Aranha, Wagner Aranha, o lutador de boxe”, corrige um comerciante da região.


Ex-campeão de boxe, hoje o professor Wagner Aranha treina num casatão do Comércio dezenas de jovens

O que esses meninos veem no espelho e o que eles corrigem vão além do aperfeiçoamento da técnica. Aranha, que já foi vice-campeão baiano e brasileiro do esporte,  dá aulas de boxe a crianças e jovens, que consideram essa oportunidade como uma chance de esquivar-se de problemas sociais, uma chance de um futuro melhor.

“Vivemos um momento tão difícil em Salvador, principalmente para os jovens, que é preciso  ter o esporte como um aliado para que eles não caiam nas drogas, nas contravenções”, diz Aranha.

Chance 
Há dez anos, ele percebeu que o carisma e o respeito conquistados com as crianças eram uma abertura para retribuir as oportunidades que teve na vida. Nascido na cidade de Mutuípe, mas criado em Salvador, por uma tia, desde os 9 anos, ele começou a praticar esportes em uma ação similar a que faz hoje realizada, na época, no Batalhão de Polícia Militar do Barbalho.

“A infância foi uma fase  difícil. Eu era muito maltratado por minha tia, com quem morei desde pequeno quando vim do interior, eu encontrava no esporte um escape”, lembra.

Aranha, que na infância treinava com o ex-pugilista Popó e já chegou a jogar no Galícia Esporte Clube, hoje reúne  54 crianças – já chegou a ter mais de 80 – no programa que tem como lema o “nocaute da exclusão social”.

Fundada em novembro de 1996, a Associação Cultural Criativa de Boxe Bahia atrai crianças dos bairros da Saúde, Pelourinho, Gamboa, Preguiça, Dois de Julho, Barris e outras localidades do Centro.

“Alguns deles são meninos que sofrem porque têm em casa um parente com problema com a Justiça, usuário de drogas, que passam dificuldades financeiras. São meninos que às vezes dormem na rua, que viviam perambulando, batendo carteira e hoje têm o boxe como uma esperança de melhorias”, conta Neuza Batista, que apoia o marido.


Associação Cultural Criativa de Boxe Bahia atrai jovens de diversos bairros do Centro da cidade

Sonho 
Antes de conseguir a casa onde  mora, o grupo se reunia na Praça da Avenida Estados Unidos, no Comércio, e seguia para treinamento, ainda de forma improvisado, na Praia da Preguiça. Hoje, com um amplo espaço no casarão onde mora, Aranha tem como maior sonho equipar a academia e poder contribuir ainda mais com as crianças.

“Abri mesmo as portas da minha casa, aqui é quase um albergue. Sempre que posso faço um lanche, não deixa os aniversários dos meninos passarem em branco”. Na terça, quando a reportagem acompanhou uma das aulas, era  comemorado com cachorro-quente o aniversário de 16 anos de Douglas Araújo, que há mais de uma semana começou r o boxe. A garagem que aluga no térreo do casarão, as aulas particulares que dá e a ajuda de alguns pais sustentam financeiramente o boxe da garotada, e a família. Aranha tem três filhos, que também treinam.

Chance 
Na associação, já há jovens que sonham em dar continuidade ao trabalho. É o caso do barbeiro Wilson de Jesus Silva, 26, que desde os 14 treina com Aranha. “Eu vivia na rua 24 horas por dia e o boxe me deu chão. Hoje, eu me orgulho em ver outros jovens começando como eu”, diz.

Muitos participam de competições  amadoras em Salvador, mas pelos ringues de Aranha já passaram jovens que ganharam o mundo, como o Mestre Trovado –Marcelo Ferreira – duas vezes campeão baiano e brasileiro e campeão intercontinental.

 

Fonte: Correio*

Crescimento populacional do Mutuípe

Crescimento populacional de Mutuípe

Em Mutuípe temos o crescimento populacional de 4,91%, nos últimos 10 anos, sendo a população de 10 anos atrás composta de 20.412 pessoas e com o crescimento chegou ao total de 21.466, aumentando de 10.316 mulheres para 10.849 e de 10.096 homnes para 10.617.

Em Mutuípe temos ao todo 6.445 domicios ocupados e contamos com o crescimento populacional de 4,91% na última década, somando ao todo uma população de 21.466 pessoas, sendo 10.617 homens e 10.849 mulheres.

Em Mutuípe são 0,98 homens para cada mulher e 1,02 mulheres para cada homem.

Contando também com uma população rural de 11.797 pessoas e população urbana de 9.669 pessoas.

Os dados de 2000 e 2010 são fornecidos pelo IBGE, já os dados para o ano de 2020 é uma perspectiva baseando-se no fato de que o crescimento populacional continue o mesmo da última decada.

A política em Mutuípe demorou mas deu inicio!!!

Na maioria das cidades já se faz campanhas para as eleições de 2012 desde o meio do ano de 2011, em Mutuípe dessa vez foi diferente, o processo eleitoral chegou tarde, mas o clima agora está pegando fogo! Em menos de 20 dias surgiram pelo menos 6 nomes como possíveis candidatos ao cargo de prefeito para a partir de 2013 gerar a maquina municipal. Alguns dos nomes são: Carlinhos – Ex prefeito (PT) governou a cidade durante 2001 até 2008 e elegeu seu sucessor Neto (Em Memória), ainda no PT temos Gil, vereador durante 5 mandatos e já tentou ter seu nome como candidato a prefeito mas o grupo não aprovou, não do mesmo partido mas do grupo que faz parte do atual governo, o PRB lançou o nome do vereador Hudsoney (Cabeça da Ambulância), uma grande novidade que tem dado o que falar é o nome do Dr. Celso Weber (PT) que assumiu o cargo após Neto (PT) falecer, o atual prefeito diz que não tem interesse em concorrer a vaga, mas a população tem aprovado o seu trabalho.  Falando de oposição o clima não está diferente, o empresário Modeir (Modemar materiais de construção) lançou sua candidatura pelo PP, segundo o próprio independente de apoio ele é candidato, na semana passada quem colocou o nome a disposição foi o ex-vereador Junior Cardoso (PR), ele foi derrotado por Neto (PT) em 2008. Quem ainda não se pronunciou foi o ex-prefeito e atual vereador pelo PMDB Béu Rocha, mas acreditam que ele pode lançar seu nome mais próximo. Nunca houve tanto pré-candidato em Mutuípe, agora é só esperar para ver no que vai dar e pedir a que o melhor seja eleito!

Inauguração do GBARBOSA de Mutuípe

Amanha 08/03 pela manhã será inaugurada a loja de departamentos Eletro Show GBarbosa, alem de mais uma opção de compra para os mutuipenses, deverá atrair pessoas dos municípios vizinhos para fazer compras no comercio local. Por outro lado preocupa o comercio local por ser um grupo de grande porte e ter preços e condições melhores do o pequeno comerciante local.

 

 

Mutuípe ganha Agroindústria, Centro de Capacitação e Creche

Mutuípe celebrou um dia impar ontem (06/03/2012), no mesmo dia foi dado inicio a 3 importantes obras, a Agroindústria, que irá beneficiar produtos agrícolas para serem comercializados no mercado local e regional, uma nova creche para as crianças do bairro da Cajazeiras e um centro de capacitação que irá instruir as pessoas no cultivo familiar. As 3 obras contam com investimentos do Governo Federal e  gerarão empregos diretos e indiretos desde sua construção e depois de finalizadas os benefícios ficaram marcados na história do município.

PONTE LOURIVAL RAMOS GANHA MAIS SEGURANÇA

Fotos: Junício Junior

Tema de constantes reclamações no programa Cara a Cara com o Povo da Rádio Interativa, a proteção da saída da ponte Lourival Ramos em Mutuípe, está sendo instalada. O morador  “Antonio Gago” enviou ao executivo municipal diversos ofícios solicitando a instalação dos corrimãos. Desde que foi construída a ponte oferecia um grande risco para pedestres, principalmente para crianças e idosos devido à necessidade de uma proteção nas laterais das cabeceiras, pois a qualquer momento um acidente poderia acontecer já que um pequeno abismo foi instalado no local com a construção da ponte. Aproveitando que estão sendo feitos reparos nas imediações da ponte os moradores e donos de veículos pedem melhorias na pavimentação asfáltica que já está bastante esburacada.